VERSÕES ESPECIAL ACORDA AMOR: MARIA GADÚ x LINIKER x LUEDJI LUNA x LETRUX x XÊNIA FRANÇA



Idealizado pela jornalista e apresentadora Roberta Martinelli em parceria com o baterista Décio 7 (Bixiga 70), o espetáculo “Acorda Amor“, que leva o nome de uma música de Chico Buarque, presente no álbum “Sinal Fechado” de 1974, reuniu 5 cantoras expoentes da música brasileira para interpretar canções históricas que refletem o momento pelo qual o Brasil vem passando nos últimos anos: Letrux, Liniker, Luedji Luna, Maria Gadú e Xênia França. Os músicos Gui Held, Fábio Sá, Pipo Pegoraro e Rômulo Nardes completam o time responsável por esse projeto mais que especial.

Pensado como um baile pós-carnaval, porém com um clima mais soturno e uma visão crítica, a escolha das versões interpretadas abordam temas como violência, racismo, homofobia e resistência política. Tivemos o prazer de conferir em 2018 no teatro do Sesc Pompéia a estreia dessa apresentação. Um palco dividido entre duas plateias, com músicos diferentes de cada um dos lados, interpretando a mesma canção, gerava uma inquietude e curiosidade, pois até então não havíamos presenciado algo tão incrível e inovador. Em determinado momento a cortina que divide os dois palcos se abre, fazendo com que o espetáculo se torne um só, visto sobre diferentes ângulos.



Dois anos depois, no início desse conturbado 2020, “Acorda Amor” foi transformado em disco (via Selo Sesc), com 18 versões interpretadas pelas 5 cantoras durante as apresentações. O Versões Especial de hoje selecionou 5 faixas desse álbum: “Gente Aberta” (Erasmo Carlos), “Deixa eu Dizer” (Claudia), “Saúde” (Rita Lee), “A Vida em Seus Métodos diz Calma” (Di Melo) e “Sujeito de Sorte” (Belchior). 

Confiram abaixo as faixas originais e as versões de cada uma delas, pelo olhar de “Acorda Amor“:

GENTE ABERTA – ERASMO CARLOS

A faixa “Gente Aberta” está presente no álbum homônimo de Erasmo Carlos, lançado em 1971. A versão para o projeto “Acorda Amor“, que inclusive abre o disco, é interpretada pelas 5 cantoras: Letrux, Liniker, Luedji Luna, Maria Gadú e Xênia França.


DEIXA EU DIZER – CLAUDIA


Presente no quinto álbum da cantora Claudia (1973), que inclusive leva o mesmo nome da faixa composta por Ivan Lins, “Deixa eu Dizer” também aparece sampleada na música “Desabafo” de Marcelo D2. A versão de “Acorda Amor” fica por conta de Xênia França.

 


SAÚDE – RITA LEE


Lançado em 1981, “Saúde“, que também leva o nome da faixa em questão, é o nono álbum de Rita Lee. Letrux é quem interpreta a versão reggae de “Acorda Amor“.


A VIDA EM SEUS MÉTODOS DIZ CALMA – DI MELO

O genial Di Melo (“o imorrível”) lançou seu primeiro  álbum em 1975. O músico foi “redescoberto” após a reedição do disco em vinil pela Fatiado Discos. Além da faixa “A Vida em Seus Métodos diz Calma“, o álbum homônimo trás também a clássica “Kilariô“. A versão de “Acorda Amor” é interpretada por Liniker.


SUJEITO DE SORTE – BELCHIOR

Sujeito de Sorte” está presente no segundo álbum de Belchior, “Alucinação“, lançado em 1976. Ganhou grande evidência ao ser sampleada no single “AmarElo“, do rapper Emicida (leia mais aqui e aqui). Belchior também já teve um especial na coluna Versões, que pode ser conferido clicando aqui. Letrux é quem dá a voz para a versão de “Acorda Amor“.

Na sua opinião, qual a melhor versão? deixa seu recado nos comentários.

O álbum “Acorda Amor” pode ser conferido na íntegra logo abaixo:

Deixe uma resposta