GRINDCORE CANADENSE DO FUCK THE FACTS: NOVO ÁLBUM “PLEINE NOIRCEUR” CHEGA EM NOVEMBRO

Terra gelada e conhecida como a pátria de artistas tão díspares quanto Rush e Alanis Morrisette, o Canadá guarda em sua manga uma informação que apenas os iniciados em música rápida manjam (e abrem um sorriso quando se toca no assunto): ali floresce uma das principais cenas grindcore do mundo. Archagathus, Mesrine, Dahmer, Fistfuck, Deche-Charge e outras fazem barulho por mil formações, produzem material doentio em quantidades alarmantes e, mesmo que nada diplomáticos em suas prerrogativas musicais, constantemente estimulam a renovação do estilo ao redor do globo por mérito de sua característica multiface sonora – seja mince, noise, grind’n’roll ou qualquer outro subgênero que queira abraçar, toda banda canadense soará única, e sempre pronta para a devastação auricular.

Um dos orgulhos underground do país é o Fuck the Facts. Representante de uma tendência ‘avant-garde’ do grind pouco praticada em sua pátria natal, mas com notáveis adeptos planeta afora (o polonês Antigama, o americano Noisear, o alemão Japanische Kampfhörspiele, o brasileiro Test), o grupo, que existe desde 1997, acredita que som extremo é local de liberdade e experimentação, e alquimia tudo o que seja possível em sua música – de jazz a bossa nova, da música ambiente ao eletrônico/industrial. Como pouco se Importam com as reações alheias (postura corretíssima, concordemos), passaram cinco anos em silêncio, sem dar grandes satisfações aos que aguardavam novidades – pois eis que, quase no terço final deste caótico 2020, o conjunto anuncia novo álbum (“Pleine Noirceur”, a sair dia 20 de novembro via Noise Salvation, gravadora da própria banda), e também lança vídeo para a faixa-título, tudo isso assim mesmo, de supetão. Confira logo abaixo esse belo petardo.

Atualmente reduzido a um trio (o batera Mathieu Vilandré, a cantora Melanie Mongeon e o guitarrista/fundador Topon Das), o FTF declarou, em relação às novidades: “Demos uma longa pausa nas atividades da banda antes de prepararmos esse álbum; o sinto como se fosse uma coleção de fragmentos e de pedaços – coisas novas e velhas, curtas e longas. Somos nós trabalhando novamente dentro de uma rotina, no momento exato de uma pandemia. Esse disco poderia facilmente ter sido dividido em 3 EPs; você precisa ouvi-lo na ordem correta para realmente entendê-lo. Ele abre as portas para o que possa vir a partir de agora.”

Para adquirir a sua versão de “Pleine Noirceur” em vinil 12″ Branco, clique aqui. Confira abaixo o novo vídeoclipe do Fuck the Facts:

Deixe uma resposta