MEUS DISCOS: “NÃO HÁ ABISMO EM QUE O BRASIL CAIBA” DE JORGE MAUTNER



Jorge Mautner é músico, multi-instrumentista, compositor, poeta e ator. O filho do Holocausto (referencia ao filme que conta a sua história), nasceu no rio de janeiro em 17 de janeiro de 1941, um mês depois de seus pais chegarem ao Brasil fugindo do Holocausto.

Lançou álbuns clássicos como “Para Iluminar a Cidade” de 1972 e “Jorge Mautner” de 1974, de onde vem o hino “Maracatu Atômico“, eternizado 22 anos depois por Chico Science e Nação Zumbi no disco “Afrociberdelia“, de 1996.

Durante a sua carreira (até o momento), foram lançados 10 álbuns de estúdio, além de 2 discos ao vivo, compilações e diversos Ep´s. Em 2019, após um hiato de 13 anos, Jorge Mautner entrega aos fãs o ótimo “Não há Abismo em que o Brasil caiba” em parceria com Ana Claudia Lomelino, Bem Gil, Bruno di Lullo e Rafael Rocha, integrantes do grupo Tono,  representando muito bem o atual momento do país.



Lançado em vinil pelo clube da revista Noize e originalmente em CD pela Deck Disc, “Não há Abismo em que o Brasil caiba” tem um tom provocador do começo ao fim, passeando por estilos diferentes, que vão da calmaria da voz e violão em “Destino“, exaltando o frevo em “Bloco da Preta Gil“, passando pelo samba em “Diabo” e chegando até o destaque desse álbum, “Oy Vey Oy Vey”, com uma sonoridade folk rock. Destaque também para a track “Marielle Franco”, homenagem à ativista e ao motorista Anderson Gomes, ambos assassinados em 2018.

 “Não há abismo em que o Brasil Caiba” pode ser adquirido em vinil 12″ azul clicando aqui. Confira abaixo o álbum na íntegra:

 

Deixe uma resposta